Política Nacional e Regional Alterações Climáticas

Espera-se mais políticas climáticas nacionais, mas quão eficazes são as políticas existentes?

28 Novembro 2019
Espera-se mais políticas climáticas nacionais, mas quão eficazes são as políticas existentes?

Autor: Agência Europeia do Ambiente

Em 2019, os Estados-Membros da UE informaram que já tinham adoptado ou estavam a planear adoptar políticas nacionais de 1925 e medidas correspondentes para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e alcançar os objectivos climáticos. Muitas destas medidas também ajudam a alcançar as metas de eficiência energética e de energias renováveis. Embora a acção climática esteja claramente a ter lugar em toda a Europa, os Estados-Membros da UE ainda fornecem provas insuficientes da eficácia e dos custos das suas políticas. Este briefing apresenta uma visão geral das informações sobre políticas e medidas nacionais para a mitigação das alterações climáticas, comunicadas em 2019 pelos Estados-Membros à Agência Europeia do Ambiente (AEA) ao abrigo do Regulamento do Mecanismo de Monitorização da UE.

Mensagens-chave

  • O número de políticas e medidas nacionais comunicadas pelos Estados-Membros para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa aumentou em cerca de 27 % entre 2017 e 2019. A maioria das novas políticas e medidas notificadas encontra-se na fase de planeamento.
  • Este aumento é consistente com o aumento reportado da poupança de emissões esperada até 2030. Também reflecte a preparação dos Planos Nacionais de Energia e Clima, concebidos para alcançar os objectivos climáticos e energéticos da UE para 2030. No entanto, o número de políticas e medidas nacionais comunicadas por um país não está necessariamente relacionado com o seu nível de ambição.
  • A informação relatada sobre políticas e medidas nacionais é melhor e mais completa do que em anos anteriores, em particular sobre a poupança de emissões de gases com efeito de estufa esperada com estas medidas (ex ante). Contudo, a informação quantitativa sobre a poupança de emissões efectivamente conseguida através das medidas implementadas (ex post) continua a ser insuficientemente comunicada.
  • Em 2019, a maioria das políticas e medidas notificadas eram regulamentos ou instrumentos económicos destinados ao fornecimento ou consumo de energia (incluindo para os transportes), implementados em resposta a uma ou várias políticas da UE. Mais de 10 % das medidas dizem respeito à agricultura. No entanto, poucas destas medidas agrícolas (18 %) são apresentadas com economias de emissões associadas.

Em 1992, ao abrigo da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (UNFCCC), os países desenvolvidos comprometeram-se a adoptar políticas nacionais e a tomar as medidas correspondentes sobre a mitigação das alterações climáticas. Ao abrigo do Acordo de Paris de 2015, todos os países se comprometeram a adoptar medidas de mitigação nacionais a fim de alcançar os objectivos das suas contribuições determinadas a nível nacional.

Uma análise mais detalhada está disponível no relatórioOverview of reported national policies and measures on climate change mitigation in Europe in 2019, preparado pelo European Topic Centre on Climate Change Mitigation and Energy (ETC/CME). Está também disponível informação detalhada sobrepolíticas e medidas introduzidas pelos países europeus para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e para atingir as alterações climáticas e objectivos energéticos relacionados.

Muitas políticas planeadas comunicadas em toda a Europa

Em 2017, os Estados-Membros da UE tinham reduzido as suas emissões em mais de 22% abaixo dos níveis de 1990. De acordo com as suas próprias projecções, os Estados-Membros esperam que as políticas e medidas actuais possam produzir uma redução de 30% até 2030, em comparação com 1990, enquanto que as políticas e medidas adicionais planeadas poderiam produzir uma redução de 36% até 2030.

Em 2019, os Estados-Membros comunicaram mais medidas existentes e um número significativamente maior de políticas e medidas planeadas do que em 2017 (Figura 1). Este aumento do número de políticas e medidas comunicadas reflecte a preparação e finalização dosPlanos Nacionais de Energia e Clima, que estabelecem a forma como os Estados-Membros planeiam alcançar os seus respectivos objectivos no âmbito das cinco dimensões daUnião da Energiae Clima até 2030. Nem todas estas políticas e medidas adicionais estão ainda claramente definidas e muitas delas estão ainda por implementar, tal como foi relatado.

Figura 1 Número total de políticas e medidas existentes e planeadas comunicadas na UE-28 (esquerda) e por país (direita)

Notas: Relatório de 2007, ** países não pertencentes à UE Fonte: *2017

In 2019, EU Member States reported that they had already adopted or were planning to adopt 1925 national policies and corresponding measures to reduce greenhouse gas emissions and achieve climate targets. Many of these measures also help achieve energy efficiency and renewable energy targets. While climate action is clearly taking place across Europe, EU Member States still provide insufficient evidence of the effectiveness and costs of their policies. This briefing presents an overview of the information on national policies and measures for climate change mitigation, reported in 2019 by Member States to the European Environment Agency (EEA) under the EU Monitoring Mechanism Regulation.

Upload do CDRpor obrigação "Políticas e medidas nacionais (mitigação das alterações climáticas)" fornecido pelo ETC/CME, 2019

As medidas mais frequentemente comunicadas são instrumentos económicos e regulamentares que visam as emissões de energia em resposta à legislação da UE

Das 1 925 políticas ou medidas de mitigação das alterações climáticas comunicadas pelos Estados Membros em 2019:

  • A maioria visa principalmente as emissões de gases com efeito de estufa relacionados com a energia (que representam 80% de todos os gases com efeito de estufa emitidos na UE). As medidas comunicadas abordam geralmente a eficiência energética nos edifícios (18%), a implantação de energias renováveis (16%), a mudança para combustíveis de baixo carbono ou veículos eléctricos (8%) e a eficiência energética dos veículos (7%).
  • A maioria corresponde a instrumentos de política económica (por exemplo, subsídios ou tarifas de alimentação, 44%) ou instrumentos regulamentares (por exemplo, normas de eficiência energética, 43%).
  • muitos (25%) foram implementados nos 5 anos após a adopção do pacote climático e energético de 2009 (ou seja, entre 2010 e 2014).
  • o número de políticas e medidas agrícolas mostrou um aumento relativamente grande entre 2017 e 2019, em comparação com outros sectores. Em 2019, os Estados-Membros comunicaram 212 políticas agrícolas com efeitos sobre as emissões de gases com efeito de estufa. A maioria (72 %) foi implementada em resposta àPolítica Agrícola Comum da UE. Os objectivos mais comunicados são a redução da utilização de fertilizantes/manuros em terras agrícolas (38% de todas as políticas e medidas agrícolas) e a melhoria dos sistemas de gestão de resíduos animais (30%).

A adopção de políticas e medidas nacionais é também impulsionada pela legislação da UE. De acordo com os Estados-Membros, as suas políticas nacionais estão principalmente relacionadas com aDirectiva de Energias Renováveis de 2009, aDirectiva de Eficiência Energética de 2012, aDecisão de Partilha deEsforços(estabelecendo objectivos nacionais para as emissões dos sectores não abrangidos pelo Sistema de Comércio de Emissões da UE), aDirectiva de Eficiência na Utilização Final de Energiae Serviços Energéticos de 2006, e a reformulação de 2010 daDirectiva de Desempenho Energético dos Edifícios.

Um total de 27 % das acções nacionais comunicadas não estão directamente relacionadas com uma política específica da União Europeia. A informação sobre as políticas e medidas individuais está disponível numvisualizador de dados em linha.

A informação sobre a eficácia das políticas melhorou, mas continua a ser insuficiente, especialmente no que diz respeito aos efeitos reais das medidas existentes.

A informação qualitativa sobre políticas e medidas ajuda a compreender melhor a natureza das acções climáticas a nível nacional. Contudo, é necessária informação adicional sobre os efeitos destas acções para ajudar a identificar sucessos e fracassos, e para fornecer uma base de conhecimentos chave para informar as decisões políticas. É por isso que os Estados-Membros devem também comunicar, quando disponíveis, informações quantitativas sobre as poupanças de emissões de gases com efeito de estufa alcançadas pelas políticas e medidas comunicadas, ou esperadas das mesmas, quer individualmente quer para grupos de políticas e medidas.

A qualidade das informações comunicadas em 2019 melhorou em termos da sua exaustividade, consistência, exactidão e transparência, em comparação com os relatórios de 2017. No entanto, a informação quantitativa sobre as avaliações de políticas, custos e benefícios ex post alcançados, e indicadores, continua a ser subdeclarada.

Relato dos efeitos esperados das novas políticas

Os relatórios dos efeitos esperados, ex ante das políticas melhoraram em 2019 em comparação com 2017, mas continuam a ser insuficientes. 23 Estados-Membros comunicaram algumas informações sobre as economias de emissões esperadas. O número de políticas com tais efeitos difere significativamente, desde uma em Portugal até mais de 60 políticas e medidas individuais na Alemanha e Espanha. No total, os Estados Membros reportaram poupanças ex ante para 2030 para 500 políticas nacionais (Figura 2).

Embora os dados quantitativos sobre as poupanças de emissões comunicadas ex ante das políticas nacionais possam não estar completos, a combinação dos dados comunicados dá uma indicação de importantes tendências globais. Espera-se que as políticas nacionais ligadas às políticas da UE sobre a promoção das energias renováveis e a legislação relacionada com a melhoria da eficiência energética produzam a maior poupança de emissões até 2030 (Figura 3). De todas as políticas da União Europeia, estas foram também relatadas com mais frequência como a principal razão para a implementação de políticas e medidas nacionais. No entanto, existem excepções a esta regra. Osregulamentos sobre gases fluorados não foram ligados a muitas políticas nacionais, no entanto o impacto que estas políticas têm na poupança de emissões é relativamente elevado. Por outro lado, existem muitas políticas e medidas nacionais que foram implementadas como resultado da Política Agrícola Comum, mas o impacto relatado destas políticas foi relativamente pequeno (4,7 MtCO2eem 2030). As políticas agrícolas raramente são quantificadas (apenas 18% das políticas e medidas que afectam o sector agrícola têm pelo menos uma estimativa quantitativa da poupança esperada de emissões).

Figura 2 Número total de políticas e medidas com poupanças ex ante comunicadas na UE-28 (esquerda) e por país (direita)

Nota: *relatório de 2017 ** países não pertencentes à UE Fonte: *países não pertencentes à UE:

In 2019, EU Member States reported that they had already adopted or were planning to adopt 1925 national policies and corresponding measures to reduce greenhouse gas emissions and achieve climate targets. Many of these measures also help achieve energy efficiency and renewable energy targets. While climate action is clearly taking place across Europe, EU Member States still provide insufficient evidence of the effectiveness and costs of their policies. This briefing presents an overview of the information on national policies and measures for climate change mitigation, reported in 2019 by Member States to the European Environment Agency (EEA) under the EU Monitoring Mechanism Regulation.

carregamentos do CDR para a obrigação "Políticas e medidas nacionais (mitigação das alterações climáticas)" fornecidos pelo ETC/CME, 2019

Figura 3 Economias esperadas das políticas nacionais ligadas às principais políticas da UE em 2030

chart_1

Comunicação dos resultados da avaliação ex post

Em 2019, apenas 10 Estados-Membros (Bulgária, Dinamarca, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Lituânia, Luxemburgo e Polónia) comunicaram informações sobre as reduções de emissões ex post conseguidas, e apenas 112 políticas e medidas únicas (8% de todas as políticas comunicadas) (Figura 4). Isto não permite uma análise abrangente dos impactos das políticas climáticas nacionais existentes em toda a UE e torna a comparação e a soma das reduções de emissões ex post um exercício altamente incerto.

Figura 4 Número total de políticas e medidas com poupanças ex post comunicadas na UE-28 (esquerda) e por país (direita)

Nota: * Relatório de 2017 ** países não pertencentes à UE Fonte: * países não pertencentes à UE:

In 2019, EU Member States reported that they had already adopted or were planning to adopt 1925 national policies and corresponding measures to reduce greenhouse gas emissions and achieve climate targets. Many of these measures also help achieve energy efficiency and renewable energy targets. While climate action is clearly taking place across Europe, EU Member States still provide insufficient evidence of the effectiveness and costs of their policies. This briefing presents an overview of the information on national policies and measures for climate change mitigation, reported in 2019 by Member States to the European Environment Agency (EEA) under the EU Monitoring Mechanism Regulation.

Carregamentos do CDR para obrigação "Políticas e medidas nacionais (mitigação das alterações climáticas)" fornecidos pelo ETC/CME, 2019

Os números baixos também sublinham a necessidade dos Estados-Membros aumentarem os esforços para avaliar os efeitos das suas políticas implementadas de forma mais sistemática. O baixo nível de informação quantitativa comunicada pode ser explicado em parte por razões técnicas. Por exemplo, os Estados-Membros não utilizam abordagens e metodologias de avaliação comuns, e podem utilizar pressupostos diferentes ou ter dificuldade em separar os efeitos de políticas individuais de outros. Além disso, alguns decisores políticos podem preferir concentrar-se em novas propostas e muitas vezes não estão muito interessados em comunicar os efeitos reais de acções passadas.

Informação detalhada e transparente sobre políticas e medidas nacionais é essencial para acompanhar as acções climáticas a nível nacional e da UE. Além disso, a avaliação política desempenha um papel crucial nos processos políticos, por exemplo, ao permitir aos decisores políticos avaliar a contribuição de políticas específicas para a realização dos objectivos de mitigação do clima, e compreender factores de sucesso e obstáculos à implementação de políticas. Outros esforços em matéria de relatórios e actividades de avaliação são considerados importantes no apoio à política climática. Espera-se que o novoRegulamento da UEsobre a Governação da União da Energia e Acção Climática facilite a racionalização e integração dos relatórios das políticas e medidas climáticas e energéticas, bem como dos seus efeitos.

A AEA irá complementar a base de dados online de políticas e medidas com um catálogo de avaliações das políticas ambientais e climáticas, que será disponibilizado online em 2020.

 

Autor: Agência Europeia do Ambiente

Crédito de imagem: Myriam Zilles / Pixabay

Este artigo é republicado sob a licença Creative Commons CC BY 2.5 DK e apareceu originalmente no website do EEE.


Conteúdo relacionado